Nascimento da Divisão de Bioengenharia


   Em 1959, o então Instituto de Cardiologia do Estado, recebia o jovem cirurgião, Dr. Adib Domingos Jatene, que desde início procurou viabilizar o serviço de cirurgia do Instituto através de pesquisa e desenvolvimento de aparelhos, equipamentos, instrumentais cirúrgicos e materiais de implantes, necessários a prática da cirurgia cardíaca.


   Os projetos desenvolvidos são: máquina de circulação extracorpórea, oxigenadores de sangue artificial, desfibriladores, instrumentais cirúrgicos para procedimentos de circulação extracorpórea, marcapassos internos e externos e válvulas cardíacas tipo bola implantáveis.


   De 1962 a 1977, a então Oficina Experimental criada pelo Dr. Adib Jatene no Instituto de Cardiologia do Estado, pesquisou, desenvolveu, fabricou para uso próprio e vendeu todos os produtos acima listados.


   Em 1975, O Instituto de Cardiologia passou a ser denominada de Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (IDPC), em homenagem ao seu fundador Dr. Dante Pazzanese.


   Em 1977, por decisão do então Governador do Estado, o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia transferiu à iniciativa privada de forma pioneira no país a tecnologia destes produtos, que passaram a ser fabricados e comercializados no mercado nacional e exportado para mais de 30 países, gerando recursos à então formada Seção de Tecnologia Aplicada à Cardiologia, sucessora da Oficina Experimental. Recursos estes que foram reinvestidos em novos projetos e desenvolvimento tecnológico.


   Em 1982, a Seção de Tecnologia Aplicada à Cardiologia passou em nível de diretoria, com a denominação de "Centro Técnico de Pesquisas e Experimentos", mediante decreto lei estadual.


   Em 1984, um grupo de médicos e funcionários do IDPC, decidiram criar a Fundação Adib Jatene (FAJ), que através de um contrato com a Secretaria de Saúde e, dentro do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, passou a desenvolver novos projetos, produzir e comercializar os produtos com o objetivo de suportar novas pesquisas de tecnologia na área médica e investir os recursos na estrutura física funcional do IDPC.


   O objetivo principal da Divisão de Bioengenharia da FAJ é fomentar pesquisa e desenvolvimento de equipamentos médicos, experimentos “in vitro” e “in vivo”, produção e comercialização de equipamentos e acessórios para a área de cardiologia, consultorias, orientação de alunos, convênios com universidades, além de projetos de financiamento com entidades filantrópicas de fomento à pesquisa.


   A Divisão de Bioengenharia ainda mantém uma área de pesquisa, com desenvolvimento de novos produtos, tais como: Coração Auxiliar Artificial, Descartável “Spiral Pump”...


   A Bioengenharia mantém a produção e comercialização dos produtos desenvolvidos, devidamente registrados e de acordo com as normas da Anvisa.


Prêmios Nacionais Obtidos

Prêmios Internacionais Obtidos